Diário do Alentejo

Cláudia Coelho, delegada distrital de Beja da Juvebombeiro

13 de fevereiro 2020 - 14:25

Texto Nélia Pedrosa


Quais as grandes linhas de ação enquanto nova delegada distrital da Juvebombeiro?
Confesso que tenho uma visão um bocadinho futurista em relação a este tema, pois acredito que é em nós, jovens, que está assegurada a continuidade desta missão tão nobre. Neste momento estou muito motivada e acredito que irei conseguir transmitir essa mensagem aos atuais e futuros aderentes da Juvebombeiro. Quanto ao plano de ação, e tendo em conta que eu já fazia parte da equipa anterior e que algumas das minhas ideias foram bem aceites, não pretendo que seja muito diferente daquele que era o nosso objetivo inicial aquando da eleição em 2017. Quero manter-me focada na dinamização dos núcleos, incluir a Federação dos Bombeiros de Beja e os comandos dos corpos de bombeiros dos distritos na divulgação da nossa missão e no recrutamento, bem como na organização das atividades, em que irei apostar cada vez mais numa vertente formativa e instrutiva, dando lugar a seminários e workshops certificados de interesse relevante.


A Juvebombeiro foi fundada com o objetivo de mobilizar e motivar os jovens bombeiros para os valores do associativismo, do voluntariado, e incentivar o ingresso nos bombeiros... Há jovens interessados em ingressar nos bombeiros a nível distrital? O que os motiva?
Sim! Continua a haver jovens a querer ingressar nos bombeiros. Os números oscilam de ano para ano, e ainda que esta não seja uma realidade transversal a todos os corpos de bombeiros, de um modo geral, o balanço mantém-se positivo. Creio que grande parte chegue por influência de familiares e/ou amigos, já eles bombeiros. O que mais desmotiva são as burocracias exigidas para o ingresso no quadro ativo. A formação inicial é demasiado extensa e parte das vezes incompatível com os horários dos empregos. Existe também uma má valorização dos bombeiros e alguma desinformação em relação àquela que é a nossa missão, e é neste sentido que pretendo trabalhar, levando a informação até às escolas e ao maior número de pessoas, seja em forma de papel ou de ações de divulgação. As maiores preocupações da Juvebombeiro a este nível é a sociedade consumista em que vivemos, onde acabamos por procurar o retorno monetário e esquecemos o retorno intelectual, como o crescimento pessoal, os conhecimentos adquiridos em diversas áreas e o espírito de camaradagem e entreajuda. O voluntariado assiste a todos e todos deveriam assistir ao voluntariado.


Qual é a situação atual dos núcleos da Juvebombeiro existentes no distrito?
O panorama geral não é tão satisfatório como já foi em outros anos. Existe alguma desmotivação no seio dos núcleos e dos aderentes, no entanto, em 15 núcleos só três estão oficialmente inativos. Contamos com 186 aderentes a nível distrital (número este ainda a ser atualizado em 2020) que desenvolvem, na sua maioria, atividades de divulgação e de angariação de fundos para os corpos de bombeiros correspondentes com o intuito de adquirirem alguns equipamentos de proteção individual e de equipamentos de meios que não estão, infelizmente, ao alcance das associações.

Comentários