Diário do Alentejo

IPBeja assina protocolo com Polícia Judiciária

12 de fevereiro 2020 - 16:00

A “segurança ofensiva e a investigação forense digital” serão, no futuro, as áreas em que os investigadores do IP Beja irão investir, numa parceria com a Polícia Judiciária com vista à protecção de crianças vítimas de abusos sexuais, e que também envolve a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) e o Centro de Formação da Indústria Electrónica.

 

Texto Aníbal Fernandes

 

Foi formalizada, em Lisboa, na sede nacional da Polícia Judiciária (PJ), a relação de cooperação e parceria “com mais de dez anos” entre esta força de investigação criminal e o IP Beja. Segundo Rui Silva, responsável pelo Laboratório UbiNET, um departamento integrado na licenciatura de engenharia informática e no mestrado de segurança informática da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (Estig), apesar da colaboração com a PJ já ter um histórico de mais de uma década, as perspectivas de trabalho futuro “obrigam a que haja um protocolo de forma a passar a um nível diferente”.

Num comunicado enviado ao “Diário do Alentejo”, o IP Beja explica que o protocolo assinado pelo presidente da instituição, João Paulo Trindade e pelo Diretor Nacional da PJ, Luís Neves, prevê “a implementação de projetos de investigação académica, técnica e científica; realização de provas de conceito de novas tecnologias aplicáveis à cibersegurança; cooperação no âmbito da realização de seminários, cursos e ações de formação que possam resultar num contributo de excelência para a cibersegurança em Portugal e numa melhor prevenção e investigação criminal e a implementação de ações que visem a prevenção e mitigação de ciberincidentes de segurança”.


A cerimónia de assinatura do protocolo ocorreu no final de uma conferência internacional sobre exploração sexual infantil e redes sociais que contou com a presença, para além dos peritos da PJ, de responsáveis da Interpol, Europol e Homeland Security. Na ocasião foram passados em revista “casos de sucesso” deslindados pela força policial de investigação portuguesa.

 

Projeto Fujitsu avança

A colaboração entre a multinacional Fujitsu, o IPBeja e a spin off bejense Sparkint, está a vançar. Neste momento já existe um espaço físico que se encontra em obras, na Escola Superior de Tecnologia e Gestão (Estig), e foram adquiridos os equipamentos e servidores necessários à concretização do projecto. Tal como o “Diário do Alentejo” já tinha adiantado, a parceria entre a empresa japonesa e o IPBeja, assinada em maio durante o Simpósio de Segurança Informática e Cibercrime (SimSIC), prevê o desenvolvimento e a implementação de projetos de investigação aplicada nas áreas da cibersegurança e ciberdefesa, a promoção e comercialização de produtos e serviços desenvolvidos pelo UbiNet e a cooperação na realização de seminários e ações de formação profissional orientadas para empresas ou entidades públicas nas referidas áreas.

Comentários